Foto: PMPR

A distribuição de vacinas e kits intubação adquiridas pelo Governo do Estado ganhou reforço com o apoio dos aviões e helicópteros do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA), principalmente no Interior do estado, para agilizar o socorro às regiões mais distantes e ampliar a resposta do governo frente à pandemia do coronavírus.

Imunizar todo o Paraná é o desafio diário dos servidores do estado e a Segurança Pública também faz parte desse trabalho prestando apoio em terra, no ar e na água na distribuição das vacinas para Covid-19 e insumos hospitalares. As aeronaves BPMOA foram disponibilizadas para agilizar a chegada dos materiais em todo o estado e, nos últimos dias, as ações foram concentradas nas regiões Norte e Noroeste.

O Comandante do BPMOA, tenente-coronel Julio Cesar Pucci, explica que a atuação da unidade tem sido no apoio ao setor de Transporte Aéreo da Casa Militar e à Secretaria da Saúde (Sesa) para otimizar o tempo de deslocamento dos medicamentos às cidades do estado. “Criamos um centro logístico em Londrina (PR) onde os aviões chegam com vacinas e insumos e as aeronaves que operam naquela região distribuem o material às pequenas cidades da região Norte e Noroeste. Nas localidades onde não há pista de pouso utilizamos o helicóptero, por ser mais adequado aos locais de difícil acesso”, explicou

As vantagens do transporte aéreo são muitas em comparação com deslocamento terrestre. Segundo o tenente-coronel Pucci, com condições meteorológicas favoráveis, as aeronaves conseguem chegar ao destino mais rápido e com segurança. “Se o transporte fosse exclusivamente por terra, haveria desgastes de logística, a necessidade de escoltas e o risco de acidente de trânsito, o que poderia acarretar na perda das vacinas, que possuem um valor inestimável”, acrescentou.

A rota Curitiba/Foz do Iguaçu é um exemplo da diferença entre uma aeronave e um veículo terrestre. Por terra, o trajeto pode levar entre 8 e 9 horas, já pelo ar o tempo de voo fica em torno de 1h50, 1h55, por isso a importância do uso de aviões e helicópteros na distribuição dos medicamentos que são utilizados por pacientes com Covid-19. “Quanto mais abreviarmos a chegada das vacinas e insumos, mais cedo as vacinas estarão à disposição de toda a população do Paraná”, destacou o tenente-coronel.

Na última sexta-feira (26/03), um voo do BPMOA levou vacinas para as cidades de Paranavaí, Umuarama, Cianorte, Campo Mourão e Londrina. No sábado, o trabalho prosseguiu e foram transportados insumos médicos, analgésicos para pacientes entubados e um lote de vacinas para Guarapuava, União da Vitória, Cascavel e Foz do Iguaçu. Neste domingo, o BPMOA chegou as cidades de Guaraci, Cafeara, Lupionópolis, Centenário do Sul, Porecatu, Florestópolis, Alvorada do Sul, Primeiro de Maio, Bela Vista do Paraíso, Sertanópolis, Jataizinho e Assai com materiais e vacinas.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui