O efetivo operacional de todo o Estado do Batalhão de Operações Aéreas (BPMOA) e as tripulações médicas de Curitiba participam nesta semana de instruções no Manancial da Serra, em Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba.

As atividades, que começaram na segunda-feira (23) e terminam neste sábado (28), são promovidas regularmente para que os profissionais estejam prontos para dar suporte às equipes da PM e do Corpo de Bombeiros em operações, radiopatrulhamento aéreo, resgates e remoções aeromédicas, entre outras ações durante todo o ano, principalmente, no período de verão.

De acordo com o Oficial de Relações Públicas da unidade, tenente Maikon Venâncio Correa, esse é o momento que todos os envolvidos nas operações aéreas têm para aprimorar as técnicas e tirar dúvidas. “Atendemos durante o ano todo esse tipo de ocorrência e como na temporada de verão a demanda é maior, sentimos a necessidade de estar cada vez mais preparados, e também é uma oportunidade de ajustar padrões e de tirar dúvidas envolvendo o serviço”, disse.

Os exercícios foram preparados de forma o mais semelhante possível com a realidade que os profissionais vão encarar no atendimento das ocorrências. Os tripulantes treinaram o embarque a baixa altura, isto é feito em terrenos que não permitem o pouso adequado, como nas praias, montanhas e encostas; o rapel, quando equipes médicas não conseguem pousar e precisa ser infiltrada para equipar a maca e retirar a vítima do local.

Os profissionais também tiveram instruções de salto, em ambientação nos meios aquáticos quando a vítima precisa ser equipada com o sling (tipo de bóia aquática) e a utilização de helibalde, que é comum de ser usado no combate a incêndios.

INSTRUÇÕES – O efetivo operacional de todo o Estado teve as instruções entre a segunda-feira e quinta-feira. Já os médicos e enfermeiros da Secretaria Estadual de Saúde e do SAMU, que atuam em Curitiba, passam pela instrução nesta sexta-feira e sábado.

“As equipes médicas terão as instruções de embarque a baixa altura, rapel e resgate McGuire, este último é necessário quando não conseguimos pousar ou fazer um voo a baixa altura e o médico ou enfermeiro precisam ser infiltrados e fazer a estabilização da vítima para a retirada do local com a maca”, explicou o tenente Maikon.

“O objetivo do BPMOA com esses treinamentos de rotina é profissionalizar cada vez mais as equipes para que não ocorra nenhum erro durante o voo, pois na aviação pode ser um único erro que leva a um grande desastre. Então preparamos, desde o soldado ao médico e ao piloto, para que todos tenham conhecimento, treinamento e qualidade ao fazer o seu trabalho”, complementou o tenente Maikon.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui