Acabou na noite desta quarta-feira (25), no Tribunal do Júri, o julgamento de Rosana Auri da Silva e de sua companheira Kacyla Priscyla Santiago. Elas foram condenadas respectivamente a 65 e 64 anos de reclusão em regime fechado pela morte brutal do menino Rhuan Maycon da Silva Castro, 9 anos, em maio de 2019.

O portal Metrópoles teve acesso com exclusividade aos detalhes de um crime hediondo e friamente premeditado.

Rosana, mãe de Rhuan degolou o menino vivo após esfaqueá-lo 11 vezes de acordo com o laudo legista. Enquanto o crime acontecia, sua companheira acendia a churrasqueira.

Rosana após ser presa foi questionada pelo delegado se elas comeram a carne da criança e ela disse que não, mas o cheiro estava bom.

Veja o depoimento completo no Metrópole.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui