Foto: Pixabay

O Hemepar, Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná, registrou uma queda de 13% no número de doadores entre fevereiro e março no Estado. Essa redução implica em 33% do estoque de distribuição, considerando que cada bolsa de sangue pode produzir até quatro hemocomponentes. O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, destacou que a demanda por sangue na rede de saúde continua existindo mesmo com a pandemia. Por isso, as doações seguem sendo essenciais para atender os 384 hospitais públicos, privados e filantrópicos do Paraná que recebem bolsas de sangue da hemorrede. O ideal é que cada pessoa doe sangue pelo menos duas vezes ao ano. A diretora do Hemepar, Liana Labres de Souza, fez um apelo à população

O Hemepar segue protocolos de segurança para prevenção da Covid-19. Além do agendamento, são recebidas apenas oito pessoas a cada meia hora para evitar aglomerações, é feita a utilização de álcool gel 70% e os profissionais que atuam no atendimento permanecem devidamente paramentados. Pessoas imunizadas contra a Covid-19 podem fazer doações de sangue normalmente, desde que aguardem o período estipulado para cada tipo de vacina. A Coranovac/ Butantan estabelece um prazo de 48 horas após o recebimento, e a AstraZeneca/Fiocruz pede o intervalo de sete dias para a doação. Pessoas que já se recuperaram da Covid-19 podem ajudar outros pacientes de uma forma bastante simples: doando plasma. Um dos componentes sanguíneos, justamente a parte líquida do sangue, o plasma de pacientes que tiveram a doença pode concentrar uma grande quantidade de anticorpos que agem no combate à infecção. É o chamado plasma hiperimune ou plasma convalescente. Para isso, o paciente recuperado precisa esperar até 45 dias do diagnóstico do RT-PCR ou 30 dias após o fim dos sintomas. Também é necessário agendar a coleta no Hemepar.

 

Por Agência Nacional do Estado do Paraná

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui