Foto: Pixabay

Curitiba registra mais três casos do novo coronavírus em moradores da cidade. São os casos de um casal cuja mulher esteve no Rio de Janeiro e de um homem que voltou da França.

A mulher que esteve no Rio de Janeiro e o homem que voltou da França apresentam sintomas leves de infecções respiratórias,  estão em isolamento domiciliar e passam bem. O outro paciente está internado em um hospital da rede privada e encontra-se estável. A equipe de Epidemiologia da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) monitora outros possíveis contatos dos três pacientes, por precaução.

Com os novos registros, sobe para 17 o número de casos confirmados na cidade.

Além deles, Curitiba investiga 234 casos suspeitos e já descartou outros 74 casos de pacientes residentes na capital.

Sistema de notificação

O aumento no número de casos investigados de ontem para hoje nos boletins do Estado e do Município se deve a instabilidades no sistema de notificação on-line do Ministério da Saúde.

“Isso dificulta a inserção em tempo real de todos os casos em investigação”, explica a médica infectologista da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba, Marion Burger.

Testagem

Em função do aumento significativo dos casos em investigação em Curitiba nos últimos dias, os exames para o novo coronavírus estão sendo priorizados para os casos graves.

No entanto, amostras respiratórias para exame do novo coronavírus também poderão ser coletadas em pessoas com quadro gripal que fazem parte do grupo de risco para complicações: bebês menores de 1 ano e idosos acima de 70 anos; pessoas com doenças graves ou crônicas descompensadas (cardiopatia, doença renal, pulmonar, etc); imunodeprimidos; gestantes; e outras situações especiais.

“Esses curitibanos com quadros leves de infecção respiratória não devem procurar diretamente a unidade de saúde, UPAs ou hospitais, para evitar riscos. A recomendação é que liguem para a central de atendimento covid-19 da Prefeitura (41-3350 9000) para combinar o procedimento do exame, se for indicado”, alerta Marion.

Como não existe remédio específico para a infecção pelo novo coronavírus, a infectologista ressalta que o exame não altera a conduta clínica.

“Todas as ações de isolamento, tratamento dos sintomas, repouso, hidratação e alimentação saudável não dependem do exame e devem ser adotadas para qualquer caso suspeito”, diz a médica.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui