Foto: Prefeitura de Curitiba

Até esta quinta-feira (19/12), Curitiba registra 407 casos confirmados de sarampo no município em 2019 – 35 deles são novos. A faixa etária em que há maior número de registros confirmados é entre 20 e 29 anos, o que corresponde a 54% do total. A idade mediana é de 22 anos.

Em apenas 19 casos foi necessária a internação hospitalar – todos já tiveram alta. “A maior parte dos pacientes evolui bem e não necessita de internamento. As complicações acontecem em casos raros”, diz a médica infectologista da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), Marion Burger.

Além dos confirmados, a Secretaria Municipal da Saúde investiga, em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), outros 588 casos suspeitos da doença no município – a maior parte só pode ser confirmada após a realização de exame de sangue, coletado sete dias após o surgimento das manchas vermelhas na pele.

A maior concentração de casos no país é no estado de São Paulo, com 14.977 casos confirmados de sarampo, de acordo com boletim divulgado nesta terça-feira (17/12). A capital paulista é a cidade com a maior concentração de casos daquele estado: quase 55%.

No Paraná, a lógica é semelhante, com a maior concentração de casos na capital do estado. Isso é explicado pela maior densidade populacional de Curitiba e pela grande ligação comercial que a capital paranaense tem com a capital paulista, favorecendo o trânsito de pessoas entre os dois municípios.

Foi pelos viajantes que o vírus foi “trazido” para a capital paranaense e, consequentemente, a transmissão do vírus passou a ocorrer mais entre as pessoas do município.

Calendário Nacional de Vacinação

Em Curitiba, a vacinação contra o sarampo está disponível de segunda a sexta-feira, em horário comercial, em 110 postos de saúde, seguindo o Calendário Nacional de Vacinação do Ministério da Saúde. Mesmo durante o recesso, dez unidades de saúde estarão abertas.

De acordo com o Calendário Nacional de Vacinação, crianças, adolescentes e adultos de até 29 anos devem ter duas doses da vacina contra o sarampo, feitas após um ano de idade. Adultos de 30 a 49 anos devem ter pelo menos uma dose, feita após um ano de idade.

Desde 22 de agosto, o Ministério da Saúde também recomenda uma dose extra para bebês de 6 a 11 meses de idade. Essa dose promove uma imunidade temporária, sendo necessário, após este bebê completar um ano de idade, realizar as vacinas previstas no calendário de rotina das crianças brasileiras.

Em Curitiba, a cobertura da vacina contra sarampo em crianças de 1 ano de idade é de 99,6% hoje. E, nos dez anos anteriores, essa cobertura vacinal ficou entre 93% e 100,4%.

Do início de 2019 até esta quinta-feira (19/12), foram aplicadas em Curitiba 213.789 doses de vacina contra o sarampo – mais do que o dobro que em todo o ano de 2018 e mais do que o triplo das doses aplicadas em 2017.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui