LUCIFER

Mesmo em tempos de pandemia há quem esteja sempre se reinventando e obtendo sucesso, especialmente quando faz o trabalho bem feito e com cuidado. Este é o caso da Nadine Maciel, proprietária da marca Hortelã Pimenta, que tem feito o maior sucesso em Curitiba, e também claro fora da capital. Você imaginou o pijama dos seus sonhos? A Nadine faz. Com muito capricho e com produtos de qualidade a Hortelã Pimenta tem feito cada dia mais sucesso com suas criações.

A novidade são os pijamas da linha exclusiva da Hortelã Pimenta que você encontra aqui 
. Apesar de já ter estampa esgotada, como no caso de Lúcifer, ainda dá tempo de conseguir as últimas peças desses pijamas maravilhosos e super exclusivos.

Além disso ela tem diversos outros tecidos. Quando eu digo diversos são muitos mesmo viu? Mais de 200 diferentes para você escolher, e você escolhe todos os detalhes dele. Ele é feito exclusivamente para você de acordo com o seu gosto.
Ficou interessado ? Então corre no site https://www.pijamashortelapimenta.com.br/ escolha a estampa do tecido que você quer e peça já o seu.

Ah e lembrando que os pijamas não são só pros humanos não, você pode comprar o Pet combinando com o humano, assim toda a família fica com pijamas iguais. Demais né? Ela também vende bolsinhas térmicas e máscaras térmicas que você pode usar quente ou frio, de acordo com a sua necessidade.

Confira alguns dos tecidos da Hortelã Pimenta

A Hortelã Pimenta

A Nadine nos contou que tudo começou quando ela teve uma grande frustração profissional e se viu sem rumo, até que um dia depois de comprar um tecido sem muita ideia do que fazer com aquilo. Até que após fazer a primeira peça ela se apaixonou e resolveu criar uma marca.

Leia o relato aqui

“A hortelã nasceu através de uma frustração profissional. Eu era recepcionista em uma agência, era formada em eventos e meu grande sonho na época (2017) era trabalhar na área de produção de eventos. Porém, veio a crise e a agência precisou fazer seus cortes e eu, foi um desses cortes!
Me permitir então, pegar os meses de seguro desemprego e tentar na área de eventos, por ter trabalhado em agência tive alguns contatos. Na época, eu fazia cursos também de maquiagem, era um hobbie que eu tinha, então conciliava os freelas da make com a procura dos freelas em produção de eventos. Tive uma experiencia ruim no fim de 2017 em um salão de Curitiba, pois o que algumas maquiadoras passam, chega a beira da escravidão e aí eu desisti de seguir nessa área, ali tive conhecimento que o que era hobbie tinha que continuar sendo hobbie e não uma profissão. Eis que tive a oportunidade de trabalhar de verdade numa equipe de produção em 2018 e eu amei, aquela loucura, dormir pouco, mal ter tempo pra fazer xixi meu coração pulsava porém, ainda faltava algo! Como eu era novata na área, pouca experiência, após o final desses freelas veio a escassez, não conseguia job, já não fazia as makes, o seguro tinha acabado e eu me vi com uma mulher de 26 anos sem rumo na vida, a frustração profissional foi batendo na minha porta e aquilo me corroía por dentro. Minha mãe é auxilar de cozinha, sempre teve máquina em casa para pequenos reparos e meu pai (hj falecido) já teve confecção de camisetas então minha mãe entendia um pouco de costura. Um dia, fomos no Boqueirão compra tecido pra ela fazer o avental dela pra ir trabalhar e eu encontrei um tecido que me chamou atenção, minha mãe falou pra eu pegar e eu questionei: mas o que eu vou fazer com isso?
E ela me disse: a leva, um dia vc tem uma ideia! E aí eu levei … Fiquei dias pensando no que fazer e eis que lembrei q tinha uma calça q não me servia mais e eu ia fazer o modelo dela no tecido. Fiquei duas semanas estudando pelo Youtube, como tirar molde de peça pronta, como aumentar esse molde, tirar medidas e assim eu fui desenvolver o molde, cortei o tecido e a peça surgiu! Lá estava aquela calça maravilhosa. Lembro que postei no meu Instagram pessoal o processo e ela finalizada e minhas amigas mandaram: naaah, eu quero uma e tô falando sério. Faz pra mim?
Eu respondi: claro, faço sim!
E ali uma luz ascendeu na minha cabeça: é isso, eu vou fazer calças femininas!
Então eu comecei a pensar em nomes, a ver logos e isso duro mais de um mês , nada me agradava! Eis que um dia eu fazendo chá (sou uma pessoa que ama chá) eu pensei: e se eu acha um nome de um chá? E então comecei a pesquisar nomes de chás e o hortelã Pimenta me chamou a atenção! Comecei a criar logos com o nome até que achei a que fez meu coração bater mais forte. Não sei, eu sentia meu sangue ferver no meu corpo, sentia que era o certo. Então criei a página, e comecei a vender.”

A trajetória de Nadine não foi nada fácil. No começo ela nem molde não tinha e fazia tudo à mão. Ela vendia calças, blusinhas, vestidos, tudo estudando no Youtube como fazer. Em determinado dia após receber uma encomenda de um pijama ela se sentiu realizada, foi onde se encontrou, onde viu que era isso que combinava com ela. Ela então deixou de costurar outras peças e focou apenas em pijamas.
Apesar de calotes, dificuldade de vendas e até de perder um instagram onde vendia os pijamas, Nadine não desistiu. Resolveu criar um novo e começou tudo do zero. Hoje ela faz o maior sucesso com suas criações e pijamas impecáveis.
Para o futuro ela planeja que a Hortelã Pimenta continue crescendo e chegue a ter até uma linha própria. Nadine pensa em ampliar a marca e empregar pessoas.

Sobre a Hortelã Pimenta ela diz: “Que não seja apenas mais uma empresa de pijamas no mundo, e sim uma empresa que faça diferença na vida das pessoas; Que ela possa participar na vida delas, que quando nossos clientes vestirem os pijamas só sintam uma sensação de paz, sensação de ser alguém especial no mundo”

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui