O empresário Bruno Caetano que segue preso após a Justiça ter convertido a prisão em flagrante para prisão preventiva, após a morte de dois homens em uma loja de conveniência na última quinta-feira (11) no centro de Curitiba.

Em depoimento, Bruno relata que sofreu fortes ameaças do advogado Ygor Kaluff, através de ligação telefônica. Bruno ainda disse que Ygor que marcou o encontro para resolver uma pendência financeira que Bruno desconhecer ter.

Veja todos os detalhes do depoimento:

O caso

O advogado Ygor Kaluff e seu amigo Henrique Mendes Neto, 38 anos, foram assassinados a tiros em um posto de combustíveis no centro de Curitiba, durante uma conversa envolvendo o empresário preso, um vendedor de jóias, Kaluff e Neto. Três homens participaram do duplo homicídio. Eles chegaram junto com o empresário e o vendedor de jóias em um carro.

O empresário foi preso na noite do crime em uma residência em São José dos Pinhais.

Já o vendedor de jóias, relatou que a ideia de fazer a cobrança de Bruno Caetano se passando por um cobrador do ourives de São Paulo, partiu do advogado Ygor Kaluff. O vendedor ainda afirmou que vendeu R$ 480 mil em esmeraldas e diamantes ao empresário no ano passado e que deste então não teria recebido. Bruno nega essa dívida com o vendedor de jóias.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui