Uma situação lamentável foi registrada nas últimas horas em um restaurante no bairro Água Verde, em Curitiba. Um casal jantava em um restaurante, quando o homem acabou engasgando com a comida e começou a tossir.

O que era para ser uma situação corriqueira e super comum em um restaurante, se tornou caso de polícia. Outro cliente que estava no local ao ver o homem tossindo começou a agredi-lo achando que o mesmo estava com Covid. O agressor chegou desferindo um chute que atingiu a mulher e o homem. Em seguida ele desferiu socos contra o homem engasgado.

Após explicar o que estava acontecendo, o agressor ficou sem graça, pediu desculpas e acabou indo embora. Já o homem que foi agredido procurou a polícia para realizar o boletim de ocorrência por lesão corporal.

Advogado que representa o agressor contesta versão dada pela vítima

O advogado que representa o homem que agrediu o casal enviou uma nota sobre o caso e contesta a versão dada pela vítima agredida. Segue a nota:

Primeiramente, que, assim como fez repetidamente logo após a ocasião, o cidadão se desculpa profundamente pelo ocorrido.

Cito aqui fala da parte: “Todas as terríveis circunstâncias que temos vivenciado e o medo, neste momento em que as UTIs estão lotadas, culminaram naquele momento de grande estresse, em que tive reação totalmente fora do meu normal”

(seguimos nos referindo ao homem que foi provocado na situação, meu cliente, como “a parte”)

Esclarece que saiu de casa naquela data exclusivamente para evitar o risco de contato em local pequeno com um prestador de serviço que estaria em sua casa. Foi, então, ao restaurante em questão com sua esposa, e sentaram-se numa mesa sem ninguém por perto.

Explica também que o Senhor envolvido no referido episódio, adentrou o restaurante com a máscara no queixo, gripado, tossindo, espirrando e fungando desde que chegou ao restaurante.

Assim que o outro casal sentou-se ao balcão, imediatamente atrás da mesa em que a parte estava, ele pôde sentir o Sr., que estava visivelmente doente, tossindo fortemente nas proximidades do casal. Nesse ponto é importante esclarecer que o homem estava claramente resfriado, e não se engasgou com a comida, pois sequer havia pedido a refeição, tendo acabado de chegar ao local.

O casal então concluiu que era melhor se afastar, para evitar contágio e também evitar qualquer problema com o homem doente, que se portava de forma agitada e extravagante. E foi o que fizeram, sem qualquer alarde e sem interpelar de forma alguma o homem gripado. Decidiram, antes de se afastar, que pegariam a comida, assim que ficasse pronta, e iriam embora do local.

Cito novamente a parte: “Quando ele viu que eu e minha esposa havíamos saído por causa dele, que tossia, espirrava e fungava incessantemente e com a máscara no queixo, ele começou a provocar repetidamente”.

“Foram segundos em que perdi completamente o controle. Errei e me arrependo muito. Com tantos milhões de pessoas no mundo morrendo, perdendo emprego, entrando em depressão e cometendo suicídio, esse cara não tem direito de fazer piada com isso.”

A parte pede desculpas como pediu inúmeras vezes no local. Relata, por outro lado, que o homem doente, mesmo assim, avançou em direção ao casal com um taco de baseball que estava no local e teve de ser contido e retirado do local pelas 2 garçonetes e pelo cozinheiro do restaurante, como já mostrado pela imprensa, embora com menos destaque.

A parte recebeu inúmeras ameaças do homem doente também, tanto no calor da discussão como depois enquanto esperavam a polícia.

Relata que está arrependido, que não consegue nem dormir, nem comer direito e que nunca agrediu qualquer outra pessoa em sua vida e, não fosse a pandemia, o isolamento e o risco de perder pessoas próximas, isso jamais teria acontecido.

O restaurante também se manifestou em relação ao ocorrido enviando uma nota:

Em virtude do caso de agressão a um casal que estava dentro das instalações de um restaurante de Curitiba, na noite de quarta-feira dia (09/12), a direção do estabelecimento informa que ficou  surpresa com o acontecimento, cedeu as imagens para as investigações e não compactua com nenhum tipo de violência.

Em mais de quatro anos de atividades, o estabelecimento nunca presenciou algo dessa natureza e repudia toda e qualquer forma de agressão.

O restaurante segue todos os protocolos de segurança contra a Covid-19, atende com
capacidade reduzida de público e dentro dos horários estabelecidos por lei.

O estabelecimento repudia o ocorrido, espera que os fatos sejam apurados e esclarecidos pelas autoridades responsáveis e que a convivência pacífica e harmoniosa entre as pessoas prevaleça em todos os ambientes.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui