O idoso de 68 anos que matou um ladrão de carro na manhã desta quarta-feira (28), no bairro Xaxim em Curitiba, não foi preso como divulgado anteriormente. Após receber voz de assalto quando estava em seu carro, em um momento oportuno sacou uma pistola de baixo calibre de aproximadamente 40 anos e efetuou disparos contra o criminoso, que ferido correu cerca de 100 metros e caiu morto. Reveja a situação:

Após o fato, ele passou mal e foi conduzido a um hospital. De acordo com o advogado de defesa do idoso, o mesmo não tem porte de arma, pois é um armamento antigo que foi passado de um familiar para outro. O advogado relatou que o idoso irá se apresentar em breve na delegacia de polícia.

O criminoso morto foi identificado por Osmar Felipe Canha, 28 anos. Osmar já era bem conhecido da polícia. Na madrugada de segunda-feira, 21 de janeiro de 2013, Viviana Aparecida de Oliveira Silva, 48 anos, retornava do casamento da filha e no momento que pararam em um semáforo na Rua Eduardo Sprada esquina com Avenida Juscelino Kubitschek, na Cidade Industrial de Curitiba, foram surpreendidos por bandidos armados que deram voz de assalto. Na época Osmar tinha 20 anos e armado com um revólver calibre 38 atirou em Viviana no momento que ela se preparava para descer do carro. Ela foi socorrida em parada cardíaca, mas não resistiu ao ferimento e morreu na ambulância.

Rosan Luiz Silva, marido da vítima inconsolável com a morte da esposa em 2013. (Foto: Arquivo/Plantão 190)

Rosan Luiz Silva, marido de Viviana estava inconsolável. Ele relatou que o sonho da esposa era ver a filha casa e que era um dia feliz para todos, que acabou com essa tragédia.

Após a tragédia, a polícia montou uma força tarefa e iniciou uma caçada aos criminosos envolvidos na morte. No dia 21 de fevereiro de 2013, ele foi preso pela Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos no bairro Capão da Imbuia, quando estava na casa de uma amiga. Ele negou o crime, mas confessou ser o dono da arma usada para matar Viviana.

Na manhã desta quarta-feira (28), Osmar ao lado de um comparsa, estava armado e por volta das 9h30, no bairro Alto Boqueirão, realizaram o roubo de um carro. Não demorou muito e a dupla trocou de roupa e voltou agir, desta vez no bairro Xaxim. Osmar e seu comparsa deram voz de assalto a duas mulheres e um homem que estava em um Toyota Yaris. O homem desceu do carro, se abrigou atrás de um poste e abriu fogo contra Osmar e seu comparsa. Osmar conseguiu correr por 100 metros, onde caiu e morreu antes da chegada do socorro.

O comparsa de Osmar foi preso pela Polícia Militar na noite de quarta-feira (28), e foi encaminhado para a Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos. Outras três pessoas que foram detidas, sendo duas delas parentes de Osmar que estavam indo para o local após descobrirem sua morte e nada ter a ver com a situação. O proprietário do veículo Voyage em que Osmar estava antes de ser morto também foi detido. Em sua defesa ele alegou apenas ter alugado o carro para Osmar sem saber o que ele ia fazer.

O fato de Osmar estar solto revoltou muita gente que acreditou que mesmo condenado a mais de 20 anos pelo assassinato de Viviana, teria ganho a liberdade, porém o mesmo no fim de 2019, durante um indulto de fim de ano foi liberado para passar alguns dias com a família, mas teria retirado a tornozeleira eletrônica e desapareceu.

Osmar Felipe Canha foi enterrado na tarde desta quinta-feira no cemitério do Boqueirão.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui