Reprodução

Uma mulher foi presa depois que ateou fogo e matou o próprio filho, recém-nascido. Ela deu depoimento e afirmou que cometeu o crime porque estava com muita vergonha da gravidez ser descoberta.

O corpo do bebê foi encontrado carbonizado na última quarta-feira (12) depois que um cachorro arrastou o corpo até o meio da rua. Câmeras de segurança flagraram o momento em que um carro para em frente a um terreno baldio, a mulher desce com o bebê dentro de uma caixa de papelão, volta ao carro, pega um galão com álcool e depois ateia fogo no bebê.

A mulher relatou que escondeu a gravidez dos familiares e até de seu namorado. Ela disse ainda que amamentou o bebê apenas no primeiro dia de vida e não soube dizer se ele estava morto quando ela ateou fogo. “Segundo ela, ele estava com corpo quente quando o colocou na caixa de papelão”, disse ao G1 o delegado que investiga o caso, Wllisses Valentim.

Ela relatou que amamentou o bebê no primeiro dia de vida apenas, e a criança já tinha cerca de uma semana de vida.

O recém-nascido estava ainda com uma pulserinha de identificação do hospital. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal para perícia. O laudo deve ficar pronto em até 15 dias.

A jovem disse que a mãe dela morreria se soubesse que ela estava grávida. Ela ainda relatou que não queria o bebê e queria se desfazer dele.

O namorado da mãe da criança deu depoimento e relatou que sabia da gravidez, eles decidiram realizar um aborto e ela mentiu que havia dado certo.

O caso foi registrado em Anápolis, Goiás.

A mãe foi autuada por ocultação cadáver.

 

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui