O trabalhador Paulo Ricardo, que ficou gravemente ferido após ser atingido por um motorista na contramão na Cidade Industrial de Curitiba, no dia 16 de fevereiro deste ano.

Paulo Ricardo que tem dois empregos, após trabalhar realizando entregas a noite, estava retornando para cara na Rua João Bettega, quando o motorista de um carro na contramão atingiu em cheio o trabalhador.

Após o acidente, o motorista causador do acidente desceu do veículo, observou o Paulo caído no chão e em seguida fugiu sem prestar socorro. Veja o vídeo:

Socorristas do Siate com apoio da equipe médica socorreram Paulo em estado grave ao Hospital do Trabalhador. Ele sofreu fratura em seis vértebras da coluna, fratura da bacia, além de fraturas expostas na perna, além de um rompimento de nervos da mão.

Paulo segue em uma cama hospitalar em casa a base de analgésicos e o estado de saúde dele é bastante delicado.

De acordo com o advogado Dr. Igor José Ogar que defende a família de Fábio, o motorista identificado por Felipe Camargo Ferreira não procurou até o momento a família de Paulo. Os outros ocupantes que estavam no carro, teriam até informado que procurariam a família de Paulo para ajudar, porém até o momento nenhum envolvido na situação que estava no carro procurou a vítima.

Felipe compareceu na Delegacia de Delitos de Trânsito acompanhado do advogado, prestou depoimento e responde em liberdade.

Até esse momento não houve qualquer contato conosco, que atuamos na defesa do Paulo Ricardo, para tentar colaborar com qualquer tipo de auxílio, por parte deste motorista infrator. Agora existem mais indícios relacionados a ingestão de bebida alcoólica pelo condutor do veículo, haja vista que outras testemunha nos procuraram e se manifestaram, se dispuseram a prestar depoimento a autoridade policial dando conta que observaram anteriormente ao acidente, na mesma data, o condutor deste veículo fazendo a ingestão de bebida alcoólica. Ainda sobre esse aspecto processual esperamos que a autoridade policial venha a indicia-lo pela lesão corporal grave, ainda como se evadir do local do acidente para se furtar da responsabilidade civil e criminal, bem como dirigir o veículo sob estado de embriaguez“, completou o advogado Igor José Ogar.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui