O pai da adolescente ficou ao lado do corpo inconformado com a morte da filha. (Foto: Plantão Maringá)

O pai de Ingrid Vitória Julio Regina, 15 anos, morta no início da madrugada deste domingo (8), atingida por uma bala perdida quando ela caminhava próximo a um local onde acontecia uma festa clandestina, revoltado, relatou que fez inúmeras denúncias.

A família de Ingrid reside no Jardim Ouro Cola, em Maringá, em uma chácara próximo ao local onde a tragédia foi registrada.

Neste fim de semana, mais de 500 jovens estavam reunidos em uma rua com pouca movimentação, realizando uma festa clandestina em via pública, quando vários disparos foram efetuados no local.

Ingrid não estava na festa, mas estava próximo caminhando com alguns familiares e foi atingida por um dos disparos.

O pai de Ingrid ficou sabendo da situação e chegou rapidamente de carro ao local onde a adolescente estava ferida. Ele colocou a filha no veículo e foi em alta velocidade e encontro ao socorro. Próximo ao contorno Sul, eles encontraram uma equipe médica que iniciou as manobras de reanimação. Foram mais de 45 minutos de massagem cardíaca sem sucesso. Ela não resistiu e morreu no local.

Ingrid caminhava com familiares próximo ao local da festa quando foi atingida por uma bala perdida.

O pai relatou que periodicamente acontecem essas festas clandestinas, regadas a muito álcool, drogas e confusão. Ele disse ter feita inúmeras denúncias, porém nada acontece e desta vez a filha dele foi a vítima.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui