A Polícia Civil do Paraná (PCPR) prendeu em flagrante nove pessoas durante operação contra desvio e adulteração de carga de farelo soja, em Ibaiti, região Norte do Estado, e em Paranaguá, Litoral, nos dias 8 e 9 de setembro. O grupo é investigado por adulterar a carga original com areia e casca de soja moída antes que ela chegasse ao destino final.

Quatro prisões foram realizadas em Ibaiti, no barracão de uma empresa, onde a adulteração estaria sendo feita. Os suspeitos eram funcionários do local. As outras cinco prisões foram feitas em Paranaguá, três eram motoristas e deveriam fazer a entrega diretamente no Porto de Paranaguá, mas acabavam desviando a carga. Os outros dois trabalhavam no Porto e tinham a função de fiscalizar o material antes do embarque.

Os nove homens foram autuados por estelionato, associação criminosa e adulteração de substância alimentícia.

ADULTERAÇÃO – O farelo de soja original saía de fábrica com 46% de proteína e 54% de outros componentes, como a fibra. Após a adulteração, a carga chegava nos terminais de embarque com 17% de proteína e 29% de areia, além da casca de soja moída e misturada, que era utilizada para atingir peso. Apenas uma das empresas, vítimas dos criminosos, avaliou o prejuízo de cerca de US$ 1 milhão.

A investigação continua, inclusive na França, onde uma das empresas compradoras do farelo de soja foi vítima da adulteração. A PCPR conta com análises periciais para identificar todas as adulterações praticadas pela organização criminosa.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui