(Foto: PCPR/Divulgação)

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) apreendeu 14% mais drogas em operações da Divisão Estadual de Narcóticos em 2019 na comparação com o ano anterior. Enquanto em 2018 foram apreendidas 45,6 toneladas de entorpecentes, no ano passado o montante subiu para 52,2 toneladas.

Na lista de produtos ilícitos, o aumento na apreensão de ecstasy e outras drogas sintéticas foi o que mais chamou a atenção. Foram apreendidos 4.330 comprimidos de ecstasy em 2019, enquanto em 2018 foram 1.512 unidades, ou seja, aumento de 186%.

O delegado da PCPR Ítalo Biancardi Neto conta que houve um empenho dos policiais para fechar o cerco contra o tráfico de drogas. “Houve empenho muito grande dos policiais e trabalho de integração com forças policiais e de inteligência de outros estados, como o do Mato Grosso do Sul”, disse.

Em relação ao aumento na apreensão de drogas sintéticas, Neto afirma que há uma busca maior dos usuários por esse tipo de entorpecente, principalmente em festas. “Notamos que esse tipo de droga está cada vez mais sendo introduzido no mercado em razão do aumento da demanda, ou seja, os usuários estão procurando esse tipo de droga, principalmente nas baladas ou raves”, conta o delegado. Retirar esse tipo de entorpecente de circulação ataca diretamente o narcotráfico transnacional e os laboratórios clandestinos de drogas sintéticas.

Prisões e apreensões

O número de prisões também aumentou 24%, passando de 385 para 478 suspeitos presos em 2019. O número de mulheres presas subiu 49%, com 64 mulheres presas em 2018 e 94 em 2019. O número de adolescentes apreendidos aumentou 133% no período. Ao todo, 14 adolescentes foram apreendidos em 2019, contra seis em 2018.

Segundo Neto, o aumento mulheres envolvidas em crimes têm influência masculina. “Normalmente os próprios maridos ou companheiros aliciam as mulheres para o narcotráfico, após eles mesmos serem presos pela prática de tráfico de drogas”, avaliou.

Já em relação aos adolescentes, o delegado da PCPC diz que é cada vez mais frequente o aliciamento deles “em razão das enormes vantagens que o próprio sistema penal oferece no tratamento desses jovens que ingressam na criminalidade, pela vulnerabilidade social e emocional em que se encontram, sem distinção de classes”.

Apreensões

O número de veículos apreendidos se manteve em 192. Já a apreensão de armas aumentou 81%. Os policiais civis apreenderam 54 pistolas, 21 revólveres, cinco espingardas, um fuzil e outras quatro armas diversas.

A apreensão de veículos e armas traz consequências diretas às organizações criminosas, que ficam sem instrumentos para operar no transporte do produto ilícito.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui