Um engavetamento na BR-116, em São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba.
Muitas pessoas têm perguntado sobre a altura da parte traseira dos caminhões envolvidos no acidente.

Adeptos desta prática afirmam que ao levantar a traseira do caminhão (ou “arquear”) aumenta a estabilidade do caminhão nas curvas. A explicação até pode fazer um pouco de sentido, já que o peso da carga é deslocado para o eixo da frente, mas não há nenhum estudo que comprove esse ganho. Já outros dizem que fazem apenas para melhorar o visual do caminhão.

Há anos essa moda tem gerado certas polêmicas e causando grandes discussões entre aqueles que são contra e os que são a favor da traseira alta.

Quem é contra argumenta principalmente a falta de segurança que estes caminhões podem ter com a traseira alta. Em uma colisão traseira, um carro pode entrar embaixo do caminhão; em uma colisão traseira com outro caminhão, a ponta da carroceria pode entrar pelo para brisa e acertar em cheio o motorista.

O CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito), por meio da Resolução 479/2014, estabeleceu os critérios para a alteração destas características. As regras visam coibir os exageros e garantir a segurança tanto para o condutor do veículo alterado assim como para os demais usuários das vias.

Saiba quais as regras no perfil do @cwb.multas no Instagram

 

Informações por Walber Pydd, advogado do CWB Multas

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui