(Imagem: Gilmar Germano de Britto/Rede Massa)

Foi liberado da delegacia de Pinhais nesta quinta-feira (21), Lucas Nascimento de Carvalho, 29 anos, após uma morte misteriosa de Lívia, 16 anos, enquanto eles estavam em um motel na tarde desta quarta-feira (20) em Pinhais.

Acompanhado do advogado de defesa Igor José Ogar, Lucas explicou que com o consentimento da mãe ele e Lívia saíram. Lívia teria mentido para mãe dizendo que ia ao shopping, mas de acordo com Lucas eles já tinham combinado de ir para o motel, com consentimento de Lívia.

De acordo com Lucas, eles chegaram no quarto do motel e ele deixou a banheira de hidromassagem enchendo. Como estava demorando muito, eles teriam aproveitado para ter relação sexual no quarto. Durante o ato, Lucas relatou que estava tudo bem, porém ele percebeu que Lívia começou a passar mal. Em seguida Lívia teria desmaiado e iniciou uma grande hemorragia no órgão genital. Lucas saiu correndo e pediu socorro para funcionárias do motel, porém as funcionárias que são estrangeiras não sabiam falar muito bem português. Uma das funcionárias teria amparado a adolescente enquanto outra funcionária ligou para a Polícia Militar. Como a mulher não sabia falar muito bem português ela passou o celular para Lucas que comunicou a situação aos policiais militares. Lucas teria questionado se ele poderia socorrer Lívia até uma emergencial e de acordo com ele, os policiais orientaram a adolescente para uma emergência. Enquanto isso a adolescente continuava sangrando. Com ajuda das funcionárias ele tentou enrolar a adolescente em um lençol, mas como ela continuava sangrando eles decidiram vesti-la para não ir nua até a Unidade de Pronto Atendimento. Ele pagou o motel e levou a adolescente até a UPA de Pinhais.

Lucas relatou que quando colocou a adolescente no veículo ela ainda estava respirando, mas ela morreu logo após dar entrada.

De acordo com o advogado Igor José Ogar, após deixar Lívia na UPA, devido a demora ele foi até a casa da mãe e a levou até a UPA, relatando que ela teria passado mal e desmaiado. Lucas conhece a família de Lívia há 8 anos, porém eles começaram a conversar apenas há 25 dias, onde começaram um relacionamento. Apesar da mãe não aprovar o relacionamento pela diferença de idade, ela permitia. O pai de Lívia não sabia que a filha estava se relacionando com ele, mas Lucas teria relatado que ia contar para ele.

Lucas relatou que amava Lívia e que estavam planejando de morar junto e que está sofrendo muito com o que aconteceu. O advogado de defesa informou que Lucas não ficou preso e sim detido, para esclarecimentos, porém após exames preliminares, foi constatado que Lívia não sofreu violência física ou sexual. O advogado acredita que Lívia poderia ter algum problema de saúde pré-existente que pode ter ocasionado a morte da jovem.

Os celulares de Lucas e Lívia foram entregues a Polícia Civil para que as conversas fossem analisadas. O advogado ainda afirmou que Lucas não teria cometido nenhum crime, por isso ele foi solto.

O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal de Curitiba e o laudo com a causa da morte deve sair em até 30 dias.

Lívia será enterrada no fim da tarde desta quinta-feira (21) no Cemitério Municipal Bom Jesus do Passos em Piraquara.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui