Divulgação/PRefeitura de Curitiba

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) investiga, até a tarde desta terça-feira (10/3), 21 casos suspeitos de infecção humana pelo novo coronavírus (COVID-19) em pessoas residentes em Curitiba, cinco deles são novos.

Dos casos divulgados na última segunda-feira (9/3), cinco foram descartados por exames laboratoriais. Os demais 16 seguem aguardando resultado de exames.

Novos casos em investigação

Os novos casos são cinco homens com idades entre 14 e 51 anos. Em três dos casos as pessoas retornaram de viagens para a Itália – país considerado em estado de epidemia pela nova doença. Os outros dois viajaram para os Estados Unidos – região que também já registra a transmissão local da doença.

Todos apresentaram sintomas leves de infecções respiratórias – febre, tosse, coriza, dor de garganta, dor no corpo, dor de cabeça. Após avaliação médica, coleta de amostras para exames e tratamento dos sintomas, foram orientados a permanecer em isolamento domiciliar voluntário enquanto aguardam o resultado dos exames.

Três deles foram atendidos em serviços de saúde da rede pública e outros dois em serviços da rede privada.

A médica infectologista da SMS Marion Burger explica que o internamento só é indicado para casos com complicações, como por exemplo, infecção pulmonar. Mas ela alerta que é essencial manter o isolamento domiciliar, quando indicado.

“Enquanto aguardam o resultado é importante que as pessoas sigam as orientações. Mesmo que a infecção não seja pelo coronavírus, a medida evita a contaminação de outras pessoas e auxilia no processo de recuperação”, orienta Marion.

Os pacientes de casos suspeitos são monitorados diariamente por telefone para acompanhamento da evolução do quadro de saúde.

Leia mais

• Perguntas e respostas sobre o coronavírus

Definição de caso suspeito

A infecção respiratória é causada por um novo vírus, portanto o comportamento e evolução dos casos está sob constante monitoramento das autoridades nacionais e internacionais de saúde.

Desde a última sexta-feira (6/3) o Ministério da Saúde ampliou as regiões de viagem para considerar casos suspeitos de infecção pelo novo coronavírus. A partir da data todas a pessoas que chegarem ao Brasil vindas de países da América do Norte, Europa e Ásia e apresentarem sintomas de infecções respiratórias como febre, coriza, tosse, falta de ar, dor de garganta, nos próximos 14 dias após o retorno da viagem devem ser considerados como casos suspeitos.

O que fazer em caso de suspeita

O diretor do Centro de Epidemiologia da SMS, Alcides Oliveira, orienta que as pessoas que retornam de viagem em regições em que já há confirmação de transmissão local da doença fiquem alerta ao apercimento de sintomas respiratórios nos próximos 14 dias após o retorno. Caso apareçam a orientação é procurar um serviço de saúde público ou privado.

“Em caso de suspeita, o paciente deve procurar a sua unidade de saúde ou uma UPA, na rede municipal de saúde; ou um pronto atendimento, na rede particular. Os profissionais e serviços de Curitiba estão atualizados e preparados para esse atendimento”, orienta.

Segundo Oliveira, o fato de os sintomas da infecção pelo do novo coronavírus parecem como os de uma gripe ou resfriado  dificulta o diagnóstico, por isso, é importante informar o histórico já no início do atendimento.

“Informar a possibilidade de exposição ao novo vírus é fundamental para a avaliação do caso, uma vez que são sintomas semelhantes a outras doenças respiratórias”, complementa Oliveira.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui