Após ser mordido por uma onça e perder o bico um tucano conseguiu retomar a vida normal depois que veterinários de Jundiaí, São Paulo, desenvolveram um implante feito em uma impressora 3D.

O tucano de cinco anos foi resgatado em abril. O dono do tucano doou para os veterinários dizendo que não conseguiria arcar com os custos de mantê-lo. Foram feitos muitos estudos para chegar no tipo de resina utilizado no bico do tucano.

“A composição de resina fotopolimerizadora, comumente utilizada por dentistas e os pinos intramedulares foram diferenciais nesta prótese 3D. Ela ficou mais anatômica, leve, o peso total não passou de 30 gramas. Isso garantiu sustentação e funcionalidade, além de distribuição da mordida do tucano. A prótese produzida é maciça e não oca. Como o bico do tucano é aerado, a prótese segue esta anatomia. Ele [Miguel] foi o primeiro tucano a usar o pino intramedular com a resina fotopolimerizadora. Existem aproximadamente três tucanos no mundo com próteses feitas em impressoras 3D, mas utilizam uma resina acrílica normal e que não dura muito tempo”

O tucano já está bem familiarizado e cicatrizado com o bico implantado. Consegue se alimentar bem e se tornou mais sociável. Ainda não há uma previsão de retorno dele para a natureza.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui