bombeiros praia mar
(Foto: João Frigério/Arquivo)

Nos primeiros dias do Verão Consciente 2020/2021, mais de 11,7 mil pessoas foram atendidas em ações do Corpo de Bombeiros no litoral do Paraná. Entre os dias 19 e 27 de dezembro os guarda-vidas, distribuídos em 91 postos de atuação, fizeram mais de 7,2 mil orientações e 3,5 mil advertências com o objetivo de alertar, proteger e orientar o cidadão que mora no litoral ou está passando as férias na região. Neste período foram registrados quatro óbitos em meio líquido e 112 salvamentos (entre ilesos, leves, moderados e graves).

“Nos primeiros dias desta temporada, tivemos uma melhora no que diz respeito aos salvamentos, ou seja, a maioria (107) corresponde à vítimas que saíram da água ilesas ou com grau de afogamento leve. Já nos últimos dois dias, houve uma gravidade maior, ou seja os graus de afogamento aumentaram e tivemos no final de semana duas vítimas fatais de afogamento”, descreve o Comandante do 8º Grupamento de Bombeiros, tenente-coronel Jonas Emanuel Pinto. “Desde o dia 19, tivemos quatro óbitos, sendo todos nos entrepostos, isto é, fora da área protegida por guarda-vidas, sendo, ainda, um deles, fora do horário de atendimento dos profissionais, às 20 horas já”, completa.

Ao entrar no mar, somente é seguro nadar em locais onde estejam visíveis duas bandeiras, de cor amarelo e vermelho, e o posto de guarda vidas, os quais sinalizam a área ser protegida. “Alertamos a população para que, ao entrar no mar, procure manter sua atenção nos postos de guarda-vidas que podem ser encontrados a partir da sinalização das bandeiras amarelo com vermelho, distribuídas pela praia, e mantenha cuidado em relação ao banho de mar, pois num momento como agora, mais afogamentos significa pressionar ainda mais as unidades de saúde regionais, as quais já estão operando em capacidade máxima para cuidar dos afetados pela COVID”, alerta o tenente-coronel.

Desde o início da Operação Verão Consciente, ocorreram 112 salvamentos, entre ilesos (97), leves (10), moderados (1) e graves (04). Para a prevenção, o Corpo de Bombeiros atua nas praias com um um efetivo de 782 bombeiros militares e 195 guarda-vidas civis fixos, número este que pode ser versátil dependendo da movimentação das pessoas na costa leste. “Estamos atuando estrategicamente, no entanto, pedimos que o cidadão faça a sua parte procurando lugar seguro para nadar e respeitando, ainda, o distanciamento e uso de máscaras”, pede o oficial.

OS CASOS – O primeiro caso foi de uma mulher no dia 19/12, que foi apontado como óbito no local. “Neste caso, o que tudo indica, ela teria atentado contra a própria vida, fora do horário de serviço dos guarda-vidas, e localizamos o corpo dela como afogamento de grau 6. Agora a investigação vai apontar a causa exata, mas havia indícios de afogamento”, conta o tenente-coronel. O segundo caso foi de um homem de 60 anos, em Matinhos, no sábado (26/12) em entre-posto (área não protegida), o qual também foi apontado como óbito no local. “è possível que ele tenha tido mal súbito seguido de afogamento secundário”, completa o tenente-coronel.

O terceiro, por sua vez, trata-se de um rapaz, de 24 anos, que teve afogamento grave, em Matinhos, foi conduzido ao hospital, mas faleceu depois já na unidade de saúde; o último foi de um rapaz de 23 anos que afogou-se em entre-posto (área não protegida) em Guaratuba, sendo apontado como óbito no local.

ÁGUA-VIVA – Os acidentes com águas-vivas, em que ocorreram “queimaduras” (envenenamento causado pelas toxinas liberadas ao toque na criatura e que podem causar vermelhidão, dor e ardência), diminuíram drasticamente. Em 2019, nos primeiros dias do Verão Maior foram contabilizados 668 casos e já neste início do Verão Consciente, foram 166 casos registrados, o que significa uma diminuição de 76%.

AÇÕES DIVERSAS – Nestes primeiros dias, os bombeiros localizaram 67 crianças perdidas, que foram devolvidas aos seus responsáveis, e distribuíram 581 pulserinhas de orientação. No mesmo período, em 2019, foram 76 crianças perdidas, entregues à seus responsáveis, e mais de 1,6 mil pulserinhas distribuídas.

APOIO – Um apoio importante para a ação dos guarda-vidas são as equipes especializadas do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMoa), que estão prontos a qualquer momento do dia ou da noite. “O apoio da aeronave nestes casos de afogamento é importante devido à agilidade que esta ferramenta oferece no transporte da vítima até o hospital e também no apoio médico que possuímos, ou seja, os primeiros atendimentos para estabilização da vítima se dão no local mesmo”, explica o Comandante do BPMoa, tenente-coronel Júlio Pucci.

PANDEMIA – A orientação do Corpo de bombeiros é que população evite aglomerações nas praias devido à pandemia, mantendo um distanciamento entre cada um, entre cada família e entre os pertences no local onde estejam posicionados em frente ao mar. Além disso, deve-se sempre manter a higienização das mãos e o uso de máscaras, que podem ser retiradas apenas para alimentação ou para o banho de mar e, em caso de qualquer sintoma gripal, procurar orientação para o atendimento de saúde.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui