(Divulgação)

No domingo, 1º de setembro, Curitiba recebeu o 3º e último dia do maior evento geek e cultura pop do Sul do Brasil – o Geek City. Os painéis do Main Stage contaram com a presença dos curadores do Cine Passeio, do ator de Vikings, Alex Andersen, o espetáculo O Mundo de Beakman, do criador de O Corvo, James O’Barr, além de um bate-papo sobre os 20 anos de Pokémon no Brasil.

Já na Arena Games, as principais atrações foram a final de DotA City 2, Just Dance e Fortnite Mobile.

Main Stage – Os bastidores do Cine Passeio

Inaugurado em março de 2019, o Cine Passeio trouxe de volta para Curitiba o conceito dos cinemas de rua, de um jeito totalmente inovador. Com um espaço para cursos, formação audiovisual e coworking, o local  possui duas salas de cinemas que exibem quatro sessões por dia, cada uma. “Nossa proposta é oferecer uma programação diversificada com filmes que geralmente não se encontram nos cinemas convencionais de shopping.”, afirma Marden Machado, curador do Cine Passeio.

No bate-papo, Marden Machado ainda contou sobre como é feita a seleção de filmes e como tem sido as negociações com as distribuidoras de conteúdo. “Nós começamos a trabalhar na programação com dois anos de antecedência. No inicio das negociações com as distribuidoras, percebemos que muitos filmes não haviam sido exibidos em Curitiba ou eram produções menores, que não estavam encontrando espaço na cidade. Então decidimos trabalhar com essas criações”, complementa Machado.

Main Stage – 20 anos de Pokemon no Brasil

No segundo painel do dia, Rafael “Jiback” Brito e Renato “Penpas” Siqueira contaram um pouco sobre as origens do anime Pokémon, que nasceu para popularizar os jogos feitos para Game Boy em meados dos anos 1990.

Dono do site jbox.com.br, Jiback fez uma extensa pesquisa sobre a franquia no Brasil e produziu uma série em vídeo com nomes que protagonizaram a história dos monstrinhos por aqui. Entre os entrevistados está Penpas, que fazia parte da equipe de redação da Revista Pokémon Club que, em 1999, quando a primeira edição foi lançada, atingiu a marca de 300 mil exemplares vendidos.

“Como revistas eram a principal fonte de informação da época, vendeu muito. E todo mundo queria saber como uma revista pra criança conseguiu isso”, contou Penpas. “Pokémon é a franquia mais rentável do mundo. Em segundo lugar aparece  a Hello Kitty e só depois outros personagens da Disney como o Ursinho Pooh e o Mickey Mouse”, justificou Jiback.

Main Stage – A verdadeira história por trás de O Corvo com James O’Barr

O painel com James O’Barr, criador de O Corvo – uma série de quadrinhos que virou filme em 1994 – foi cheio de inspiração e novidades. O’Barr contou sobre o seu novo livro, um projeto que está sendo desenvolvido há mais de 4 anos, que tem uma mulher como personagem principal. “Faço tudo sozinho. Eu escrevo, crio os desenhos, faço a editoração, apenas com tinta e papel. Nada é digital, por isso leva mais tempo”, conta O’Barr. O livro terá 235 páginas e tem previsão de lançamento no inicio de 2020.

Ao ser questionado sobre a edição definitiva de O Corvo, O’Barr revelou que no livro original deixou de fora algumas páginas e decidiu reintegra-las nesta edição. “Nos anos 80, eu tive que tirar algumas páginas do livro por serem excessivamente violentas para a época. Então eu coloquei todas essas páginas de volta, além de mostrar momentos especiais e particulares da minha vida, que na época não estava confortável em contar”, comentou O’Barr.

No final, James O’Barr ainda deu dicas para quem quer iniciar uma carreira como quadrinista e contou que suas inspirações nunca acabam. “Eu estou sempre inspirado. Ouço música, converso com outros artistas, para que a minha expressão seja permanente”, relatou O’Barr.

Main Stage – Alex Hogh Andersen conversa com os fãs

Alex Hogh Andersen, o Ivar, O Desossado, personagem da série Vikings voltou ao Main Stage do Geek City para responder perguntas dos fãs – e levou o público à loucura. Ao longo do bate-papo, contou sobre sua experiência em uma churrascaria brasileira, que gosta de cerveja e que é apaixonado por fotografia.

Alex entrou no palco enrolado em uma bandeira do Brasil, presente de uma fã durante o evento. Disse que se sentia poderoso porque a bandeira parecia uma capa e que estava muito feliz por estar aqui. Questionado sobre o que pensava do país antes e o que pensa agora, o ator dinamarquês respondeu: “Vocês sempre nos vencem no futebol, isso é horrível” e riu. “Mas é um país lindo e quero voltar para conhecer a Amazônia, se ainda estiver lá”, completou, em tom de crítica aos recentes incêndios na floresta.

Sobre o futuro, Alex disse que deve lançar um livro de fotografias autorais, mas pediu para que as pessoas não criem muitas expectativas. “Não prometo nada, mas estou trabalhando para mostrar algumas coisas que vi no Vikings. Para mim, é uma carta de amor para as pessoas maravilhosas que conheci na série e para a equipe que estava por trás das cenas”.

Main Stage – Beakman Show

Para encerrar o último dia do Geek City 2019, Paul Zaloom voltou diretamente dos anos 90 para apresentar o Mundo de Beakman, ao vivo. Com a participação de vários expectadores, o show ensinou muito sobre ciência, trazendo nostalgia e boas lembranças para os fãs do programa. As crianças e os adolescentes presentes no evento também se divertiram com o show e aprenderam um pouco mais sobre sistema nervoso, de um jeito muito engraçado.

Um dos participantes do show declarou que se tornou cientista por causa do programa do Beakman. O ator Paul Zaloom expressou sua gratidão dizendo que “ao longo desses três dias ouvi muitas declarações como essa, mas confesso que não me canso de escutar isso”. Por fim, Zaloom encerrou o show incentivando o público a aprender ciência.

 Concurso de Cosplay

O Concurso de Cosplay desse domingo foi marcado por duas etapas. Confira quem venceu a final do dia:

– Melhor cosplay: Gatts, de Bersek, interpretado por Alan Redson Martins.

– Melhor performance: Alice Lidel, de Alice Madness Returns, interpretado por Priscila Felippe.

– Melhor presença de palco: Ragnar Lodbrock, de Vikings, interpretado por Filipe Marins.

– Escolha do público: O Rei do Bruxo de Angmar, de O Senhor dos Anéis, interpretado por Dage Martinez.

A final do Concurso de Cosplay dos três dias premiou os seguintes participantes:

– Melhor cosplay: Sylvanas Windrunner, de World of Warcraft, interpretada por Jessica Lunardelli da Silva.

– Melhor performance: Jaffar, de Aladdin, interpretado por Deodato Meira de Araújo.

– Melhor presença de palco: Ragnar Lodbrock, de Vikings, interpretado por Filipe Marins.

– Escolha do público: Gandalf, de O Senhor dos Anéis, interpretado por Manoel Lucas Javorouski.

Jungle Kings vencem finais de DotA 2 no último dia de Geek City

Time misto foi o vencedor do DOTA CITY, o último dos torneios que agitaram o maior evento de cultura pop do Sul do país. Campeões receberam prêmio de R$ 6 mil e as comemorações seguiram com exibições de Just Dance

Teve mais campeão no palco do Geek City 2019. Neste domingo (01), último dia de evento, foi a vez da equipe do Jungle Kings se sagrar a vencedora do DOTA CITY, torneio de DotA 2 que valia um grande prêmio no valor de R$ 6 mil. Os vitoriosos venceram a equipe da NoPing eSports por três a zero em uma série de melhor de cinco.

O domínio dos Jungle Kings foi demonstrado logo na primeira rodada, com os atletas aplicando muita pressão e impedindo a movimentação dos adversários. O destaque da equipe, FCR, levantou a plateia com sequências de double e triple kills que se estenderam ao longo de toda a MD5, causando amplo dano aos heróis e às torres dos adversários.

Mesmo com certa recuperação da metade para o final da primeira rodada, com os reis da selva tendo dificuldade para avançar no setor de jungle do cenário, não deu para a NoPing. Mesmo com um avanço rápido em direção a base, a equipe acabou perdendo com um placar de kills de 31 a 27 para os Jungle Kings.

A segunda partida foi ainda menos equilibrada, com a NoPing simplesmente não sendo páreo para uma pressão ainda maior para os, então, apenas candidatos à vitória. Os atletas oponentes não tiveram espaço para respirar enquanto o placar fechava com um total de 31 a 5 que deixou público e narradores acreditando que o DOTA CITY já tinha um vencedor.

A NoPing, entretanto, ainda tinha o que mostrar e chegou renovada para a terceira rodada, mais disputada do que nunca. O jogador Terrence liderou a equipe pelas lanes causando amplo dano aos adversários e, surpreendentemente, não sucumbindo à sempre presente pressão da equipe da Jungle Kings.

A calma venceu a violência e, na etapa final, a estratégia mais tradicional da Jungle Kings acabou levando a melhor. Mesmo com uma liderança absurda no placar de kills, que fechou em 67 a 30, a NoPing se viu sem recursos para conter o avanço dos reis, que acabaram selando a vitória.

FCR, o destaque da partida, ressaltou o fato de os Jungle Kings serem um time misto, com jogadores de diferentes estados e que nem sempre teinam juntos, enquanto, do outro lado, estavam atletas de destaque no cenário latinoamericano de eSports. “Esperávamos uma partida maior, que se estenderia a pelo menos quatro jogos”, completou, enquanto recebia o troféu das mãos do apresentadir Luiz Higyno.

Celebração musical

E uma vez que a festa dos vencedores do DOTA CITY chegou ao final, outra celebração tomou conta do palco da Arena Games. Para fechar a noite, o público subiu pela última vez ao palco para exibições de Just Dance, um game igualmente competitivo e divertido, mas capaz de cativar pessoas de todas as idades.

E assim terminaram as atividades da Arena Games do Geek City 2019, com mais de R$ 8,5 mil em prêmios e os melhores atletas universitários e do circuito profissional de jogos como DotA 2 e Counter-Strike: Global Offensive. Além disso, em partidas públicas de PUBG e do próprio CS: GO, o público presente também pôde mostrar habilidade e sentir um pouquinho do que é estar no palco de uma grande competição.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui