O Brasil está entre os países que mais sofre com crimes cibernéticos ou digitais do mundo, porém em razão da pandemia COVID-19 vivemos um momento muito mais sensível.

Sabemos que desde Platão e Arsitótoles já se relacionava a miséria ao cometimento de crimes, somado a isso, infelizmente hoje metade das pessoas do país estão em quarentena ( isolamento ) o que faz diminuir crimes patrimoniais “presenciais “como roubo, sequestro e furto, narcotráfico, contrabando, tudo por uma questão muito óbvia, as vítimas estão mais protegidas em seu isolamento, somado a isso, em razão da vulnerabilidade emocional das pessoas os criminosos se aproveitam para criar novos esquemas e artimanhas, pois também estão em isolamento social, até para criar a sofisticação e novas estratégias, pois estes delinquentes perderam o seu “mercado” anteriormente utilizado, e agora vem para este novo meio, pois se aproveitam do fato das pessoas estarem a procura de informações e utilizando muito a internet para se valer de descontos e comprar em lojas virtuais, bem como para obter benefícios concedidos pelo governo, e assim vivemos o crescente aumento de crimes relacionados a internet, especialmente por emails, SMS e nas redes sociais (Facebook e Instagram) o que vem assustando as autoridade de todo país.

Os mais comuns são os contra a honra, como injúria, calúnia e difamação, porém aumentaram exponencialmente as importunações sexuais, extorsões, ameaças, estelionato e outras fraudes.

O que torna isto ainda mais preocupante é o fato de que todas as autoridades como policia e poder judiciário estão em serias recessões e a apuração fica ainda mais restrita.

Temos a informação de que uma única empresa de segurança detectou que mais de 4,5 milhões de brasileiros acessaram sites falsos em busca do benefício de ”Seiscentão” ou “Coronavoucher “.

Os outros números que assustam são o da quantidade de fraude em ofertas e serviços de streaming, promessa de aumento de franquia em internet, e ofertas de dia das mães, a há ainda lamentavelmente aqueles que simulam ser de departamentos de assistência e do governo pedindo doações em favor as vítimas do Coronavírus.

Portanto devemos ter muito cuidado a partilhas dados e informações, bem como evitar baixar aplicativos e outros download.

As principais dicas para não cair em golpes virtuais:
a) O site oficial receber auxilio emergencial é http://auxilio.caixa.gov.br ;
b) Sempre baixar qualquer aplicativo, fazê-lo exclusivamente pela loja oficial do sistema operacional, seja ele Android ou iOS;
c) Não repassar seus dados e senhas por telefone ou email (estando ciente que o banco não liga ou envia mensagem para atualizar dados cadastrais, transferências e transações).
d) Não utilize redes públicas quando estiver em ambiente desconhecido;
e) Fique atento e evite utilizar links recebidos por SMS, Whatsapp e mail;
f) Em caso de suspeita de ter entregue indevidamente qualquer informação altere imediatamente sua senha.

O estado vem na contra mão se movimentando com ações de segurança pública, aqui na Capital paranaense temos o eficiente e respeitado Núcleo de Combate aos Cibercrimes (NUCIBER)
Endereço: Rua Pedro Ivo, 672, Bairro Centro, Curitiba/PR
Telefone: (41) 3304-6800 ou (41) 3321-1900
Delegacia Online: http://www.delegaciaeletronica.pr.gov.br/

Pela internet :
SaferNet – Canal que permite ajuda e orientação a mulheres vítimas de crimes virtuais.

Ainda tem dúvidas? Fale com o advogado nas rede sociais:

Facebook
https://www.facebook.com/advogadoigorjoseogar/

Instagram
https://www.instagram.com/advogadoigorjoseogar/

Whatsapp

(41) 99999-9999

 

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui