(Pixabay)

Na última sexta-feira (23) o pai e a mãe de uma criança de 3 anos foram presos suspeitos de torturarem e matarem a criança, com socos e o fio de carregador de um celular.

A mãe, de 20 anos, e o pai, de 21, foram presos depois que a criança deu entrada em uma Unidade de Pronto Atendimento, em Cáceres, no Mato Grosso, com diversas marcas de agressão pelo corpo. A criança chegou já sem sinais vitais.

A médica que atendeu a criança relatou que no exame físico ficou evidente que haviam marcas como hematomas, inclusive nos olhos, nódulos na cabeça e cicatrizes. Entre as cicatrizes uma que mostra a marca de um carregador de celular.

A Polícia Militar foi acionada pelos funcionários da UPA, e a mãe foi encaminhada a uma delegacia. Na versão inicial, a mãe disse que a criança tinha caído de uma mureta e batido cabeça. Depois da queda o casal teria dado banho na criança que se queixou de dores no corpo e que só no dia seguinte levaram a criança ao UPA.

Já durante a madrugada, a mãe confessou que viu o pai da criança agredindo o bebê, disse que o pai não gostou de ouvir a criança chorar e se irritou com o filho. Após as agressões, a criança ficou desacordada e a mãe resolveu levar na UPA. Ainda no relato, a mãe disse que o menino recebeu um golpe no tórax e vomitou, por causa do vômito, o pai agrediu mais ainda a criança.

O pai da criança foi localizado na chácara onde mora e foi preso em flagrante. A polícia ainda encontrou na casa uma arma de fogo.

Já a mãe foi presa porque se omitiu no dever de cuidar e proteger o filho das agressões e por isso também irá responder pelo homicídio qualificado. O homem além do homicídio responderá por posse ilegal de arma de fogo. A Polícia Civil apurou que o menino passou por intenso sofrimento físico por um longo período com diversas agressões.

O pai confessou as agressões.

Um laudo preliminar apontou indícios de abuso sexual na criança.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui