Foto: Hully Paiva/SMCS

A Prefeitura de Curitiba vem promovendo a maior rodada de sanitização de terminais do transporte coletivo e da frota de ônibus da capital desde o início da pandemia. Desde dezembro, em média, 25 mil metros quadrados por dia estão sendo sanitizados para combater a propagação da covid-19. Os trabalhos vão até o fim de junho, pelo menos.

A programação inclui a desinfecção dos 22 terminais da capital (incluindo o Guadalupe), da frota e também a sanitização de mais alguns pontos da área central que registram grande fluxo de pessoas, como as regiões das praças Tiradentes, Rui Barbosa e Carlos Gomes.

A higienização é cíclica e cada ponto passa por sanitização a cada duas semanas.

“Até agora não tínhamos realizado um período tão longo de sanitizações. É uma forma de combatermos o contágio e dar mais segurança ao usuário do transporte coletivo”, diz Ogeny Pedro Maia Neto, presidente da Urbanização de Curitiba (Urbs).

A desinfecção foi contratada pela Secretaria Municipal de Administração e Gestão de Pessoal (Smap) e o cronograma de aplicação é coordenado pela Urbs. Os trabalhos são realizados de segunda a sexta-feira, das 9h às 12h.

A cada dia, são três equipes, cada uma responsável pela sanitização em um local diferente. Nesta quarta-feira (10/3) estão sendo sanitizados os terminais Cabral, Capão Raso e Oficinas.

Desinfecção

Os profissionais de higienização usam pulverizadores costais com quaternário de amônia – conhecido pelo poder sanitizante – para fazer a desinfecção da área total e de pontos de contato, como cobertura e apoios, para ajudar a reduzir a velocidade de circulação de agentes infecciosos. A aplicação é rápida e os passageiros podem utilizar o espaço normalmente após a desinfecção.

Além disso, a frota total de veículos (operante e de reserva) – de cerca de 1,5 mil ônibus – é sanitizada durante a noite, nas garagens das empresas. A Urbs cedeu os atomizadores costais, o produto sanitizante e treinou o pessoal das empresas para fazer o trabalho.

Desde o início da pandemia, há cerca de um ano, o transporte coletivo vem recebendo sanitizações especiais. Além dos terminais e dos ônibus, já foram sanitizados estações-tubo e pontos de parada. O trabalho chegou a contar com o apoio de militares do Exército, em agosto do ano passado.

Para evitar o contágio, além da higienização dos equipamentos, terminais e estações-tubo contam com saboneteiras de álcool gel. Nas plataformas dos terminais, há marcação para manter o distanciamento entre os passageiros e termômetros para medir a temperatura dos usuários.

A Urbs alerta que o uso de máscara é obrigatório e que as pessoas não consumam alimentos dentro dos veículos.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui