A cidade de Criciúma viveu o terror no início da madrugada desta terça-feira (1), quando pelo menos 40 criminosos com armamentos de guerra, fecharam toda a região central da cidade.

A ação foi extremamente organizada, com criminosos armados de fuzil de vários calibres. Os alvos foram Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, onde explosões fizeram a região central da cidade tremer.

Com fardamentos camuflados, coletes e capacetes balísticos os criminosos fizeram reféns colocando-os nas ruas formando uma parede humana, para evitar que policiais atirassem contra os criminosos. Alguns veículos foram incendiados para dificultar qualquer tipo de reação da polícia.

A ação toda durou quase duas horas. O Batalhão de Policia Militar sofreu duros ataques com armamento pesado. Entre as armas usadas estava o fuzil calibre .50, capaz de atravessar com facilidade qualquer tipo de blindagem disponível hoje no Brasil.

Um detalhe que chamou a atenção em relação a outros ataques já acontecidos no Brasil foi a agressividade em relação a população. Muitas vezes os criminosos atiram apenas para o alto, para assustar possíveis curiosos ou qualquer agente de segurança pública que se aventure a tentar encarar cerca de 40 criminosos fortemente armados. Desta vez o bando atirou contra prédios residências deixando moradores em desespero. Uma pessoa que filmava da janela de um apartamento quase foi atingida por um disparo de fuzil. Uma pessoa que saía de garagem também foi surpreendida pelos criminosos que não pensaram e atiraram no veículo.

Até o momento não foi possível apurar o montante levado. Essas ações demandam de tempo, para ter acesso aos cofres que abastecem agências bancárias de toda a cidade e região. Esses cofres geralmente ficam localizados em bunkers subterrâneos cercados de concreto armado para dificultar a ação dos criminosos que utilizam não apenas explosivos, mas maçaricos e ferramentas profissionais de corte de aço para chegar até o dinheiro. Os valores armazenados nestes locais é muito alto, ainda mais nesta época do ano.

Durante a saída do bando, muito dinheiro ficou espalhado em frente as agências e moradores correram para as ruas para pegar as várias notas que ficaram espalhadas pela rua.

O saldo até o momento é de um policial ferido sem gravidade. Os criminosos saíram do local em um grande comboio de aproximadamente 20 veículos.

Esta ação na cidade catarinense lembrou muito a ação registrada há uma semana, no dia 24 de novembro, na cidade de Araraquara, no interior de São Paulo. Inclusive as vestimentas utilizadas nas duas ações são idênticas.

Policiais de várias cidades vizinhas já se unem em uma grande força tarefa para iniciar as buscas aos criminosos que até o momento não foram localizados.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui