(Foto: Colaboração)

Foram identificadas as vítimas da tragédia na BR-277 acontecida na noite deste domingo (2), por volta das 22h20.

Preliminarmente, no local do acidente, foram registradas 34 vítimas, sendo 8 fatais, 1 gravíssima, com risco de morte, 5 graves e 20 vítimas leves. Foram contabilizados cerca de 22 veículos envolvidos (16 carros, 5 motocicletas e 1 caminhão).

Fernando Jaroz Mendes, 18 anos, sua esposa Ester Nunes, 19 anos, Jéssica Nunes de Oliveira, 22 anos, que era irmã de Ester estavam em um carro acompanhados do senhor Otacílio, que é pai de Ester e Jéssica.

Fernando, Ester e Jéssica estavam no mesmo carro junto com o pai das duas jovens que viram as filhas e o genro morrerem na hora.

Eles teriam se envolvido no primeiro engavetamento envolvendo vários carros. Após o engavetamento, Fernando, Ester e Jéssica foram para o acostamento e pouco depois foram atingidos pelo motorista da carreta que tentou desviar do engavetamento jogando o veículo para a direita em direção ao acostamento, colidindo em carros e atropelando as pessoas que estavam ali. Fernando, Ester e Jéssica morreram na hora. O único sobrevivente deste veículo foi Otacílio que viu as filhas e o genro morrerem na hora.

Emanueli de Fátima Santos e Jurema Elvira Ferreira Santos estavam em um carro e retornavam para o litoral do Paraná, onde residiam.

Jurema morreu na hora. Emanueli morreu após dar entrada no Hospital Cajuru
Jurema morreu na hora. Emanueli morreu após dar entrada no Hospital Cajuru

Emanueli chegou a ser socorrida pelo Siate, mas não resistiu aos ferimentos e morreu pouco depois de dar entrada no Hospital Cajuru

Guilherme Henrique de Oliveira, trabalhava como motoboy e também foi atingido pelo motorista da carreta.

Guilherme Henrique Ribeiro trabalhava como motoboy

Lucas Moreira era cabo do Exército, também se envolveu no acidente e morreu na hora. Outra vítima fatal foi identificada por Jéssica de Souza. Ela estaria com Moreira em um dos veículos envolvidos na fatalidade.

Lucas e Jéssica estavam em um dos veículos envolvidos na tragédia

Estiveram envolvidos no acidente 15 carros, 1 viatura da Polícia Militar, 5 motos e 1 carreta.

O motorista da carreta envolvido no acidente não ficou ferido. Ele estava em estado de choque e não quis receber atendimento dos socorristas. Várias pessoas divulgaram em redes sociais um fake news relatando que ele teria cometido suicídio, porém a informação não é verdadeira. Em áudios feitos pelo motorista da carreta foi possível ouvir o desespero do motorista que não teve o que fazer ao se deparar com vários veículos colididos no meio da rodovia. Ele permaneceu no local e foi submetido ao teste do bafômetro que constatou que ele não havia ingerido bebida alcóolica.

(Foto: Mariano Gomes/147 News)

O Coronel Prestes, comandante do Corpo de Bombeiros do Paraná relatou que momentos antes do acidente, as equipes do Corpo de Bombeiros já estavam a caminho da região para atender a ocorrência de incêndio ambiental na região. No domingo passado, dia 26, um grande foco de incêndio ambiental foi registrado na mesma região.

A tragédia aconteceu no km 76 da BR-277, na pista sentido litoral do Paraná, pouco depois da ponte do Rio Iguaçu em São José dos Pinhais. Minutos antes do acidente, uma fumaça intensa tomou conta das pistas deixando a região com visibilidade zero, o que teria provocado a princípio um engavetamento envolvendo carros e na sequencia a carreta atingiu vários veículos e pessoas que estavam na pista. Vários motoristas que passaram pelo local antes do momento do acidente relataram que não havia sinalização na pista.

A Delegacia de São José dos Pinhais está a cargo da investigação do acidente e trata até o momento como uma grande tragédia, sem dolo eventual.

Uma grande tragédia não é composta apenas por um único fator, e sim vários fatores. A queimada em vegetação, a falta de sinalização na pista alertando para o perigo a frente que deveria ter sido feita pela concessionária que administra o trecho, a curiosidade de pessoas que pararam para ver o que estava acontecendo ou até mesmo para tentar ajudar, a visibilidade zero na rodovia, foram os fatores que somados resultaram nesta tragédia.

A orientação é de que em qualquer lugar que você seja obrigado a parar em rodovias ou até esteja envolvido em algum acidente, se você não está sendo visto, deve abandonar o carro e buscar um local seguro imediatamente, tentando se possível sinalizar a rodovia para que novos acidentes não aconteçam. Testemunhas relatam que após o primeiro engavetamento havia uma pessoa em cima de um dos carros tentando sinalizar com uma lanterna, porém a densa fumaça impedia de que o facho de luz fosse visível para os motoristas que seguiam sentido litoral e entravam na fumaça.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui