Como já noticiamos diversas vezes, a impunidade é um dos fatores cruciais para o incentivo da criminalidade. Ontem noticiamos um caso que revoltou policiais militares e a sociedade que não aguenta mais tanta impunidade.

Ontem um bando praticou um arrastão que aterrorizou comerciantes na Vila Izabel. A Polícia Militar montou um grande cerco e teve muito trabalho para conseguir deter 7 participantes do arrastão, que foram presos em flagrantes, com os bens roubados de uma farmácia, e com vítimas. Estava ali o pacote completo para que o flagrante fosse perfeito, materialidade e vítima, porém, de acordo com nota da Polícia Civil do Paraná, o delegado afirmou que baseou sua decisão pelo não encarceramento dos envolvidos em entendimento pacificado no Supremo Tribunal Federal, visto o pequeno valor dos bens subtraídos.

Os 7 presos em flagrante no arrastão foram soltos horas depois do crime.

Poucas horas após aterrorizar a região da Vila Izabel e Água Verde, os 7 envolvidos estavam nas ruas, livres para cometerem mais crimes.

E não foi preciso alguns dias, cerca de 24 horas após o fato relatado, um dos participantes do arrastão foi preso novamente. Desta vez o marginal estava em um mercado na Rua 24 de Maio no bairro Rebouças. Ele estava inclusive utilizando a mesma roupa e mesma bolsa que usou nos crimes de ontem. A equipe de monitoramento do mercado acompanhou e registrou o momento em que ele coloca produtos dentro de sua bolsa para realizar o furto. Antes de sair do mercado, a equipe de segurança o deteve e acionou a Polícia Militar.

O marginal foi preso mais uma vez e encaminhado pelos policiais militares para a Central de Flagrantes.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui